Monthly Archives / novembro 2019

  • nov 27 / 2019
  • 0
Sem título2
Leis de Incentivo, LIC, Projetos Culturais, Projetos Sociais, Sem categoria

Harmonizando os caminhos pelo ensino da música nas escolas públicas

Aprender música é uma atividade cultural dinâmica e divertida, além dos inúmeros benefícios oferecidos para qualquer idade, principalmente quando exercitada na infância. No Brasil, inclusive, existe a Lei de Diretrizes e Bases Orçamentárias (LDB) 11.769/2008, que determina que a música deve ser conteúdo obrigatório em toda educação básica, porém, não é especificado como esse conteúdo deve ser trabalhado pelas instituições públicas e educadores, ou seja, não há políticas públicas nacionais que garantam a implementação da lei.

O conhecimento musical exerce grande influência no desenvolvimento humano, principalmente quando é estimulado precocemente. Os benefícios vão desde avanços no uso do raciocínio lógico, dos sentidos, da memorização, coordenação motora, disciplina, atenção, autoestima, imaginação e linguagem. Para crianças e adolescentes, além dos benefícios citados, podem ser somados a aprendizagem das matérias curriculares, o relacionamento interpessoal, a cooperação, o trabalho em equipe, o respeito e a diversidade.

Sendo assim, os projetos culturais se colocam como importante alternativa para suprir a falta da aprendizagem musical nas escolas públicas, onde os alunos têm pouco ou nenhum acesso à cultura musical. Existem alguns excelentes projetos socioculturais relacionados a esse tema, com metodologias e propostas pedagógicas diferentes, porém todos com similares doses de relevância social no que tange à transformação particular de cada jovem aluno.

Há o exemplo do Projeto Regendo o Futuro; que é realizado em São Paulo e oferece aulas/oficinas gratuitas de canto coral e musicalização para crianças e adolescentes, além de alimentação e apoio com transporte, ou seja, vai muito além de apenas aulas de música, é um olhar na formação e no futuro dos jovens atendidos.

Já o Projeto Estante Musical é itinerante e busca suprir a falta de conhecimento entregando livros sobre o tema e instrumentos para estimular nos alunos o gosto pela arte musical nas escolas públicas dos anos iniciais Brasil afora.

Por fim, o Projeto Orquestra de Cordas; realizado em Porto Alegre, no RS, é mais focado na formação de novos músicos, além de oferecer oficinas de instrumentos e a prática de orquestra.

Confira os projetos na íntegra em:

Estante Musical: https://vrprojetos.com.br/projeto/340/estante-musical

Regendo o Futuro:  https://vrprojetos.com.br/projeto/285/regendo-o-futuro

Orquestra de Cordas: https://vrprojetos.com.br/projeto/324/orquestra-de-cordas

Projetos musicais como os citados ressignificam os valores de uma comunidade, bem como ampliam os valores socioculturais. Muitas vezes, dão oportunidade ao indivíduo de sair da margem da sociedade e ser protagonista de sua história. Estes projetos têm o poder harmonizar e preparar novos caminhos, que antes eram impensáveis. São projetos como esses, que deixam um legado, que inspiram as empresas e pessoas físicas a destinarem seu Imposto de Renda em prol de um Brasil melhor.

#VRPROJETOS #REGENDOoFUTURO #ESTANTEMUSICAL #ORQUESTRAdeCORDAS #MúsicaTransforma #Inclusão #Conhecimento #CulturaGeraFuturo #IssoMudaoBrasil #IRdoBEM

  • nov 20 / 2019
  • 0
Corpo Sonoro
PRONAS

Você já ouviu falar em PRONAS?

A sigla PRONAS, refere-se ao Programa Nacional de Apoio À Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência. Instituído nos termos da Lei nº 12.715/2012 e regulamentado pelo decreto 7.988/2013 e pela portaria nº 1.550/2014. Esse programa tem por finalidade captar e canalizar recursos do Imposto de Renda de pessoas físicas ou jurídicas para desenvolver a prevenção e a reabilitação da pessoa com deficiência (PCD). Compreende ações de promoção, prevenção, diagnóstico precoce, tratamento, reabilitação e adaptação de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção, em todo o ciclo de vida.

No Brasil existe a  Lei Brasileira de Inclusão (LBI) nº 13.146/15, cujo Art. 2º, que considera a pessoa com deficiência “aquela que tem impedimento de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, o qual, em interação com uma ou mais barreiras, pode obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas”. Segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), através da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) e o ministério da saúde, revelaram que 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência: auditiva, visual, física e intelectual.

Indivíduos com limitações visuais abrangem 3,6% dos brasileiros, sendo 16% destes com grau intenso, que os impossibilita de realizar atividades habituais como ir à escola, trabalhar e brincar. Se tratando de pessoas com deficiência física, resultam em 1,3% da população e somente 18,4% desse total frequentam serviço de reabilitação. O estudo apresenta também que 0,8% da população brasileira tem algum tipo de deficiência intelectual e cerca de 30% frequentam algum serviço de reabilitação em saúde. Por fim, pessoas com deficiência auditiva representam 1,1% dos brasileiros, sendo destes 21% com grau intenso, comprometendo às atividades cotidianas.

Sendo assim, é de extrema importância o conhecimento de todos sobre essa população e a realização de projetos socioculturais voltados às pessoas com deficiência (PCD’s), que, além de inclusão social e acessibilidade, trazem inúmeros benefícios pessoais, como qualidade de vida, bem-estar, saúde, entre outros. O intuito destes projetos é combater a desigualdade e exclusão, valorizando às PCD’s, estimulando o protagonismo através do acesso permanente ao conhecimento, educação, esporte e trabalho, sem discriminação.

Conforme previsto na Lei de Incentivo do Ministério da Saúde, a dedução dos valores a título de doação ou patrocínio pelas pessoas físicas só poderá ocorrer até o ano de 2020 e pessoas jurídicas até 2021. Prazos que já foram ampliados devido a relevância e importância deste programa para a saúde pública em nosso país. Esse programa acontece por meio do incentivo fiscal para projetos sociais voltados a reabilitação da pessoa com deficiência com o propósito do tratamento de deficiências físicas, motoras, auditivas, visuais, mentais, intelectuais, múltiplas e de autismo.

Com relação ao PRONAS, a VR PROJETOS apresenta o Projeto sociocultural CORPO SONORO, que visa a inclusão social e acessibilidade de pessoas com deficiência, através de aulas de dança e apresentações, promovendo a autonomia e desenvolvendo capacidades funcionais destas pessoas.

Saiba mais sobre o projeto em: https://vrprojetos.com.br/projeto/377/corpo-sonoro

#VRPROJETOS #PRONAS #IRdoBEM #CORPOSONORO #Inclusao #Acessibilidade #CulturaGeraFuturo #IssoMudaOBrasil

 

Fontes:

http://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/51525535/do1-2018-11-23-decreto-n-9-580-de-22-de-novembro-de-2018-51525026

https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cpd/documentos/cinthia-ministerio-da-saude

  • nov 13 / 2019
  • 0
Imagem1
LIC, Projetos Culturais, Projetos Sociais

O CINEMA COMO ESPELHO DA CULTURA NO BRASIL

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), neste ano de 2019, teve como tema de redação: “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”. Este é um assunto muito significativo e de ampla discussão, pois trata-se de um bem cultural que não é facilmente acessado, especialmente quando se refere a locais fora dos grandes centros urbanos do país. Por isso, as leis de incentivo à cultura e projetos audiovisuais devem ser valorizados, visando à promoção de igualdade para toda população.

Infelizmente, o acesso ao cinema não é para todos, contrariando o que diz o artigo 215 da Constituição Federal do Brasil: “O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais”. Especialistas da área cinematográfica afirmam que o processo de democratização do acesso ao cinema brasileiro está longe de ser atingido. A arte precisa de mecanismos que facilitem o acesso a ela, para democratizar e fazer, principalmente, com que as pessoas de baixo poder aquisitivo tenham acesso ao audiovisual. Dados da Ancine, de 2016, revelam que 90% das salas de cinema estão localizadas em shopping centers, e apenas 17% da população frequentam as salas de cinema no país.

Por isso, é preciso pensar em alternativas para tornar o cinema acessível para todas as camadas da população. O audiovisual é uma forma de as pessoas adquirirem e acessarem mais conhecimento. Nesse sentido, segue o debate de como o cinema no Brasil pode ser financiado e disponibilizado para toda população. Muito se baseia na ideia de que essa forma de arte é direcionada à elite, como uma atividade de luxo, o que gera um grave problema de cultura e educação para grande parte da sociedade.

Nós, da VR PROJETOS, cremos que é possível mudarmos esse parâmetro através de projetos culturais, por meio da doação do Imposto de Renda da pessoa física (aquela que declara pelo formulário completo) ou empresa (aquela que é tributada no Lucro Real). Sendo assim, apresentamos dois Projetos Itinerantes audiovisuais: “Cinema Itinerante” e “João Ambiente – É uma Peça”. São projetos que disponibilizam uma plataforma móvel adaptada, com sala de cinema integrada, proporcionando a cultura do cinema em qualquer canto do país e beneficiando milhares de pessoas. O Cinema Itinerante oferece películas clássicas, licenciadas por grandes distribuidoras de filmes, além de toda a experiência de estar em uma sala de cinema, com direito a pipoca, refrigerante e muita emoção. Já “João Ambiente – É uma Peça” é exibido no formato de animação em curta metragem, ensinando de forma lúdica como cuidar melhor do meio ambiente, com o intuito de garantir o futuro do planeta. É um projeto que, além de vivenciar o cinema, leva conhecimento e educação, gerando benfeitores no mundo.

É muito gratificante, seja para quem direciona o Imposto de Renda ou para aqueles que realizam os projetos, proporcionando momentos de lazer para pessoas que possuem pouco, ou nenhum, acesso à cultura audiovisual. O cinema existe para eternizar momentos e imaginar possibilidades na expectativa de um acontecimento. Portanto, a promoção de Cultura, através de projetos incentivados, gera inclusão, gera economia e transformação social na vida de muitas pessoas.

Saiba mais sobre estes incríveis projetos em:

Cinema Itinerante: https://vrprojetos.com.br/projeto/60/cinema-itinerante

João Ambiente – É uma peça: https://vrprojetos.com.br/projeto/361/jo-o-ambiente

#VRPROJETOS #CINEMAITINERANTE #JOÃOAMBIENTE #CINEMA #INCLUSÃO #IRDOBEM #LeideIncentivoÀCultura #CulturaGeraFuturo #IssoMudaOBrasil

  • nov 04 / 2019
  • 0
Transformação social portadores de necessidades especiais
Lei do Esporte, Leis de Incentivo, Projetos Culturais, Projetos Sociais, PRONAS

A Pior Síndrome é a Indiferença

Portadores de necessidades especiais são como flores em um jardim, de diferentes colorações, e boa parte delas não floresce por não se sentir parte de um grupo social. O medo e o preconceito andam juntos de pessoas portadoras de deficiências mentais ou intelectuais, que, dessa forma, acabam excluídas ou segregadas da sociedade. São apenas indivíduos que possuem um modo incomum de pensamento, mas têm sentimentos como qualquer outra pessoa, e eles jamais devem ser tratados como coitados ou inválidos, e, sim, inseridos na sociedade.

No Brasil, o IBGE constatou que há 6,7% de pessoas com deficiência (12,5 milhões) que possuem alguma limitação para enxergar, ouvir, caminhar ou subir degraus, além daquelas com deficiência mental ou intelectual. A educação inclusiva evoluiu no país, mas ainda enfrenta obstáculos, como formação de professores e informações mais amplas sobre o tema. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), uma em cada sete pessoas vive com alguma espécie de deficiência no mundo, o que equivale a um bilhão de pessoas. Estima-se que, em média, uma em cada três crianças com deficiência está fora da escola, e que 77% não são alfabetizadas.

Garantir que o processo de inclusão possa fluir de melhor maneira está ao alcance de todos. Assim como todas empresas e cidadãos que pagam Imposto de Renda podem incentivar diversos projetos socioculturais, voltados também para estas pessoas. A cultura é um caminho que permite a inclusão, acessibilidade e transformação social. Pessoas portadoras de necessidades especiais precisam de atenção, carinho, amor e de alguém que olhe por elas. Além disso, exigem educação, respeito, cidadania e inclusão social.

Através da Lei de Incentivo à Cultura, Pronas e Lei do Esporte, apresentamos projetos direcionados às pessoas portadoras de necessidades especiais, tais como:

DIRECIONE SEU IMPOSTO DE RENDA A PROJETOS TRANSFORMADORES.

—-

Qualquer dúvida, entre em contato conosco através dos nossos canais de comunicação:

Telefone: (51) 3737-0809

E-mail: contato@vrprojetos.com.br

Site IR DO BEM: https://www.irdobem.com.br/

Site VR PROJETOS: https://vrprojetos.com.br/projetos

Acesse e adicione nossos perfis nas redes sociais para ficar por dentro das atualizações sobre novos projetos, assim como tudo sobre a captação de recursos para apoiar projetos sociais e culturais que vêm beneficiando milhares de pessoas por todo Brasil.

Facebook: https://facebook.com/vrprojetos

Instagram: https://instagram.com/vr.projetos

Twitter: https://twitter.com/vrprojetos

LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/vr-projetos-empreendimentos-culturais-e-sociais/?viewAsMember=true

Youtube: https://youtube.com/vrprojetos

 

#VRPROJETOS #IRDOBEM #INCLUSÃO #ACESSIBILIDADE

#LeideIncentivoÀCultura #CulturaGeraFuturo #IssoMudaOBrasil